mil millones

O povoado que nos seus olhos mora é feito de todas elas: selvagens, pés de algodão ou tudo isso agora, pois é urgente transbordar precipícios (ou somente encontros). Você, luz e contraste, levando às favas o céu dos homens escalavrado nas ranhuras dos seus nomes.

Mil millones y dale que va.

Sua primeira pessoa não é mais do singular: Eleonora, Francisca, Emiliana, Isolda, Annis. Sua personalidade é uma multidão de mulheres bárbaras, jardim de disfarces, noites de tangos que se traduzem tão claros. A luz de alumiar essas essências e infernos e seus quereres germinando, revelando-se no claro avesso destoado. Se a luz derrama noutros olhos, é você ainda cabendo em qualquer parte como outras que é.

Comments are closed.